terça-feira, 29 de maio de 2012

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Tou toda partidinha...

Esta aula de yoga matou-me. Espetei-me com as fuças no chão a fazer Uthitta Trikonásana (Postura do Triângulo Estendido). Como é possível? Desiquilibrei-me, emaranhei-me toda e pum... Que vergonha.


terça-feira, 22 de maio de 2012

E para mim a Amizade é isto...

O que Distingue um Amigo Verdadeiro

Não se pode ter muitos amigos. Mesmo que se queira, mesmo que se conheçam pessoas de quem apetece ser amiga, não se pode ter muitos amigos. Ou melhor: nunca se pode ser bom amigo de muitas pessoas. Ou melhor: amigo. A preocupação da alma e a ocupação do espaço, o tempo que se pode passar e a atenção que se pode dar — todas estas coisas são finitas e têm de ser partilhadas. Não chegam para mais de um, dois, três, quatro, cinco amigos. É preciso saber partilhar o que temos com eles e não se pode dividir uma coisa já de si pequena (nós) por muitas pessoas.

Os amigos, como acontece com os amantes, também têm de ser escolhidos. Pode custar-nos não ter tempo nem vida para se ser amigo de alguém de quem se gosta, mas esse é um dos custos da amizade. O que é bom sai caro. A tendência automática é para ter um máximo de amigos ou mesmo ser amigo de toda a gente. Trata-se de uma espécie de promiscuidade, para não dizer a pior. Não se pode ser amigo de todas as pessoas de que se gosta. Às vezes, para se ser amigo de alguém, chega a ser preciso ser-se inimigo de quem se gosta.

Em Portugal, a amizade leva-se a sério e pratica-se bem. É uma coisa à qual se dedica tempo, nervosismo, exaltação. A amizade é vista, e é verdade, como o único sentimento indispensável. No entanto, existe uma mentalidade Speedy González, toda «Hey gringo, my friend», que vê em cada ser humano um «amigo». Todos conhecemos o género — é o «gajo porreiro», que se «dá bem com toda a gente». E o «amigalhaço». E tem, naturalmente, dezenas de amigos e de amigas, centenas de amiguinhos, camaradas, compinchas, cúmplices, correligionários, colegas e outras coisas começadas por c.
Os amigalhaços são mais detestáveis que os piores inimigos. Os nossos inimigos, ao menos, não nos traem. Odeiam-nos lealmente. Mas um amigalhaço, que é amigo de muitos pares de inimigos e passa o tempo a tentar conciliar posições e personalidades irreconciliáveis, é sempre um traidor. Para mais, pífio e arrependido. Para se ser um bom amigo, têm de herdar-se, de coração inteiro, os amigos e os inimigos da outra pessoa. E fácil estar sempre do lado de quem se julga ter razão. O que distingue um amigo verdadeiro é ser capaz de estar ao nosso lado quando nós não temos razão. O amigalhaço, em contrapartida, é o modelo mais mole e vira-casacas da moderação. Diz: «Eu sou muito amigo dele, mas tenho de reconhecer que ele é um sacana.» Como se pode ser amigo de um sacana? Os amigos são, por definição, as melhores pessoas do mundo, as mais interessantes e as mais geniais. Os amigos não podem ser maus. A lealdade é a qualidade mais importante de uma amizade. E claro que é difícil ser inteiramente leal, mas tem de se ser.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Os Meus Problemas'

sábado, 19 de maio de 2012

Ao fim de 7 anos posso dizer-te..

Eu Simplesmente Amo-te

Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer outra forma de amar sem ser esta, onde não existe eu ou tu, tão intimamente que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão, tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se.

Pablo Neruda, in "Cem Sonetos de Amor"

Boomerang

Se fizeste coisas para me ver feliz e contente, não te preocupes; mas se, só exiges e nada dás em troca, lamento mas tenho de te informar que bem podes esperar por mim sentada. Acabei de alargar o número de pessoas no meu estado "Ai não me mexes um cú mas estás constantemente a solicitar o meu?!"

terça-feira, 15 de maio de 2012

Sábado na continuação da nossa languidez


Saga Casa da Cultura - LIVROS I


Já tinha lido mas não me lembrava rigorosamente de nada. Como é possível? Agora lembro-me de tudo e dúvido que o volte a esquecer.

Na madrugada de 10 para 11 de Maio fizemos 7 anos.

O MEU AMOR EXISTE

O meu amor tem lábios de silêncio
E mãos de bailarina
E voa como o vento
E abraça-me onde a solidão termina.
O meu amor tem trinta mil cavalos
A galopar no peito
E um sorriso só dele
Que nasce quando a seu lado eu me deito.
O meu amor ensinou-me a chegar
Sedento de ternura
Separou as minhas feridas
E pôs-me a salvo para além da loucura.
O meu amor ensinou-me a partir
Nalguma noite triste
Mas antes, ensinou-me
A não esquecer que o meu amor existe.

Jorge Palma

E não é que dura mesmo?!


O meu primeiro baton vermelho. Rouge Filtre. Até pareço outra.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Raios os partam...

A respeito das declarações do Passos Coelho muita gente tem aproveitado para falar. E o Manuel Alegre, com o seu paternalismo e arrogância, revelou-se até ao tutano: pelos vistos a sociedade portuguesa é "fraca" de modo que nunca poderemos ver no desemprego uma oportunidade. Raios! Depois de três dias fora do mundo volto para esta merda. Pedantes. 

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Encontrei esta imagem no meu arquivo e tive de a postar já porque acho uma excelente ideia e está mesmo giro...


Graduation works Kyoto City University os Arts


Voltei!!!

Às aulas de yoga. YEAH!!! E para ter ainda mais motivação comprei umas calças lindas na womens secret... Apeteceu-me comprar a colecção toda de ginásio mas não posso satisfazer todos os meus desejos... Agora vou vestir-me e ter mais uma aulinha que na segunda foram só 40 minutos e fiquei toda partida. Como gosto de praticar yoga. Até me espanto comigo própria.

Oh pá adoro este gajo!

Juro que não percebo...

O porquê de tanto alarido e sociólogo nas televisões e advogados a dar pareceres e sindicatos a reinvidicar já nem eles sabem o quê e imagens no FB e todos, ou quase todos, os Blogs a chamar nomes à Jerónimo Martins. Mas que raio tem eles a ver com o facto dos senhores quererem fazer 50% de desconto nos seus produtos? Concorência desleal?!!! Juro que estou a rir. Não fui aos "saldos" do PD porque não sabia e mesmo que soubesse detesto ajuntamentos de mais de 5 pessoas no PD ou nos Santos Populares em LX; e isso nada tem a ver com a crise, se fosse altura de vacas gordas acontecia exactamente o mesmo; e não, não acontece só em Portugal, basta ver outras acções promocionais em outros países e de outras marcas e é um tal andar à estalada. Se as pessoas que usufruiram estão contentes, ainda bem; se a Jerónimo Martins está contente, ainda bem. O resto é converseta da treta que muito gosta este país de produzir. Que mania de julgar os outros e de se meterem onde não são chamados. Cada um comemora o 1 de Maio como bem entende. Não vi ninguém, que andou 6 horas recluso no PD, a criticar quem foi para as manif acenar bandeirolas... Que eu saiba este país ainda é livre e não tem de ser julgado em praça pública. Miséria humana é não respeitar a liberdade dos outros.