domingo, 27 de fevereiro de 2011

Finalmente

...vou aproveitar a prenda que a mana me deu no Natal de 2009. Estava a ver que não. Isto tem andado complexo. Gripes, infecções, excesso de trabalho, má disposição, falta de dinheiro, etc... É só escolher. Mas entre amanhã e segunda sou só eu e os meus queridos. No Gerês. Right ON!!!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Deixa A Vida Me Levar...



Estava num daqueles momentos de lucidez a falar com o meu rapaz acerca da minhas dúvidas para o futuro e da incapacidade que agora sinto em tomar decisões e ele cantou-me esta música. Só ele.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

UAU!

É que isto nem nos livros. Estou eu e o rapaz na conversa, a ver um canal de notícias (não vou dizer qual é porque os considero parolos...) a rir e a comentar esta gente doida, quando surge uma notícia sobre a CHEVRON e um processo judicial com o Equador em que o Equador consegue ganhar uma indemnização choruda (8 mil milhões de dolares... YAEH!). Foi feita justiça. OK. Curiosa vou à net. Esse mundo. Escrevo: "chevron vs equador". E clico, na curiosidade do acaso, neste blog: "http://notasaocafe.wordpress.com/2008/07/30/chevron-vs-equador/. Sempre gostei do Obama. Gosto de pessoas que tem palavra. Curto estas coincidências.

Inverno...

Acordei com uma bola na garganta. ENORME. Logo me disse o rapaz: "Já devias ter ido ao médico!..." Sim, eu sei, mas não gosto de perder tempo no Centro de Saúde e não gosto de tomar medicamentos e detesto tomar antibióticos porque fico como se tivesse sido sovada por uma multidão em fúria. Vai dai enchi-me em "cêgripes" - porque tenho coisas importantes no trabalho para fazer e não me posso dar ao luxo de faltar! e fiz de conta que não era nada. Não resultou. Saio daqui directa para o médico e ai que raiva ao menos podia-me dar uma febrezinha para ficar em casa... A sério! Só assim um grauzinho para ficar de caminha nesses dias frios e cinzentos. Raios os partam!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Até que enfim que a mensagem foi verbalizada...

«"Porque fala ele sempre da guerra?" disse Amany, 28 anos. "Qual guerra? Ninguém quer a guerra. Ninguém pensa em guerra. Os egípcios amam a paz. Nunca atacaríamos nenhum país. Para quê? Não odiamos ninguém. Só queremos viver em paz, em liberdade e em justiça. Somos um povo poderoso, mas queremos usar a nossa força para lutar contra quem nos humilha, nos tira a liberdade. E esses inimigos não estão no estrangeiro. Estão aqui no país".

Ninguém compreende a argumentação geoestratégica, a lógica tortuosa da realpolitik. "Porque estão sempre a falar do Irão, de Israel, da Arábia Saudita?", pergunta Mohamed Roshy, 31 anos, enfermeiro. "Isto é o Egipto. Porque nos dizem que Israel e o Irão são um perigo? Somos todos seres humanos. Eu não odeio as pessoas do Irão ou de Israel. Porque devemos temê-los? Que têm eles contra nós? Só queremos ter um emprego e viver em paz". Nairy tinha dito o mesmo. "Mubarak diz que nos protege da guerra. Mas de que guerra exactamente é que nos está a proteger? Ninguém sabe. Eu acho que não há guerra nenhuma".» http://www.publico.pt/, 12.02.11

Allahu Akbar!

"(...) A melhor descrição do que se vive no Médio Oriente foi feita no diário britânico “The Guardian” pelo libanês Fawaz Gerges, professor de Política do Médio Oriente e Relações Internacionais na London School of Economics: "Este é o momento Berlim do mundo árabe. O muro autoritário caiu (…) e vai muito para além de Mubarak. Estamos a assistir ao início de uma nova era." - www.publico.pt

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Raios...

... acordei com uma dor de garganta que se fico doente mato-me! Juro! Agora não posso ficar doente: ouviste corpo?! Agora NÃO!!!!!!!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

...para tirar o amargo da boca com o post anterior



Descobri esta publicidade de morrer aqui (http://longedamultidaofrenetica.blogspot.com/)

Oh que descoberta!



Juro que não percebo a histeria em volta desta música... Mas ainda não tinham reparado? É necessário alguém cantar isso para que toda a gente se lembre que andamos a viver uma palhaçada insustentável? É que agora isto está em todo o lado como se nunca ninguém tivesse pensado nisso... É pá mudem de vida!!!

Fim-de-semana...

Sábado com direito a carraspana de caixão à cova, com a 3 horas de Karaoke aos berros (Por Deus que nunca me tinha dado para isto!!), e Domingo com 12 horas de cama em sono profundo... Violência tal que até desceu a Tia Maria!!!

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Allô?!

Podia ser a série que eu adorava em criança mas não, estou mesmo a falar de falar ao telefone. Desde miúda que sempre detestei falar ao telefone. Todas as pessoas que me conhecem sabem disso. Quem me conhece bem sabe que não vale a pena insistir; quem me conhece mal... fica por ai mesmo. Até os meus pais já me tentaram mudar; até fiz terapia de choque: trabalhei na "OK TELESEGURO - Bom dia, fala a Marta!". É verdade! Um momento da minha vida em que me deu para combater os "meus medos"... Tudo uma treta pegada! Não gosto e não falo. Pura e simplesmente não atendo números que não conheço e "anónimos" até me fazem rir. Não gosto de falar com as pessoas sem lhes ver a cara. Mais ainda das pessoas que gosto. Para mim é olhos nos olhos. Pois é. Mas, para minha desgraça o meu rapaz quis pôr ZON com telefone fixo grátis para fixos e deu-me para dar o meu número a algumas pessoas... as muito amigas. Mesmo amigas. E vai dai compramos um telefone muito giro e pequenino e baratinho e quando ele toca como não consigo ver o número, lá atendo (se há coisa que me mexe com os nervos são campainhas e alarmes e toques)... E hoje gostei de o ter feito. Ri-me como uma perdida com as nossas conversas tontas Maria. Era mesmo o que estava a precisar.... Pronto. Estou cansada. Não sei porque comecei a falar disso. Ainda bem que amanhã é sexta.